As 10 músicas mais insuportavelmente grudentas de 2017

Apenas uma canção chiclete é capaz de tirar outra da cabeça. Para a alegria dos amantes da música, 2017 contribuiu com grandes pérolas, uma atrás da outra, de modo a não deixar nenhuma por tanto tempo a fustigar os miolos. Foram hits no nível de Macarena, sucesso dos anos 1990 do grupo espanhol Los Del Río, e da Dança da Manivela, axé pegajoso do Asa de Águia, que fez a alegria de um Carnaval anos atrás. Confira abaixo as canções que mais grudaram neste ano.


  Despacito, de Luis Fonsi e Daddy Yankee

Desde seu lançamento, a Macarena do século XXI quebrou um recorde depois do outro. O reggaeton de Luis Fonsi e Daddy Yankee foi a primeira música a bater 4 bilhões de visualizações no YouTube e alavancou a procura por música latina nas plataformas de streaming, como Spotify e Deezer.


Paradinha, de Anitta

Paradinha inaugurou a carreira internacional de “Anira”, como ela é chamada pelos falantes do inglês. Aqui, a funkeira, de olho no público hispânico que grassa nos EUA, arrisca uma letra inteira em espanhol. O clipe teve 3 milhões de visualizações em pouco mais de 3 horas no ar e rendeu à cantora a 15ª posição no ranking da Billboard dos 50 artistas mais influentes nas redes sociais.



Shape of You, de Ed Sheeran

Shape of You grudou tanto que até virou caso de polícia. Em março deste ano, a britânica Sonia Bryce foi condenada a oito semanas de prisão por ouvir a música repetidamente em volume absurdo e, naturalmente, perturbar a vizinhança. Parte do terceiro álbum de Ed Sheeran, a música é a mais ouvida do ano no serviço de streaming Spotify.



Trem Bala, de Ana Vilela

O sucesso de Ana Vilela começou com um vídeo anônimo no YouTube. Mas foi um verdadeiro estouro. Em apenas cinco meses, Trem-Bala virou tema de duas campanhas publicitárias, entrou para a trilha sonora de Malhação e caiu na boca do povo.



Todo Dia, de Pabllo Vittar e Rico Dalasam

Eleito o hino do Carnaval 2017, Todo Dia alavancou a carreira da drag queen Pabllo Vittar, que ganhou projeção nacional. Nem as divergências com o co-autor da música, Rico Dalasam, que tiraram o hit do YouTube e dos serviços de streaming, conseguiram estancar a sua popularidade.



Hear Me Now, de Alok

Hear Me Now é dessas canções que pegam mais pela melodia do que pela letra. A batida é conduzida pelo DJ brasileiro Alok, que neste ano conquistou espaço em diversos festivas de música eletrônica mundo afora. O sucesso de Hear Me Now começou ainda no finalzinho de 2016: em dezembro passado, o hit alcançou o 47º lugar no Top 50 Global do Spotify, fazendo de Alok o primeiro brasileiro a figurar no ranking.



New Rules, de Dua Lipa

A inglesa Dua Lipa estourou no segundo semestre com o hit New Rules. A música logo conquistou o topo das paradas, tanto por sua batida eletropop quanto pela letra confessional, que ensina a superar o fim de um relacionamento com base nas próprias experiências.



Você Partiu Meu Coração, de Nego do Borel

Você Partiu Meu Coração reuniu três dos “cantores do momento” no Brasil: Wesley Safadão, Anitta e Nego do Borel. O sucesso era garantido: a música povoou as festas de Carnaval em todo o Brasil em 2017 e acabou entrando para a trilha sonora da novela Pega-Pega, da Globo.



There’s Nothing Holding Me Back, de Shawn Mendes

O bom-moço Shawn Mendes agraciou sua legião de fãs adolescentes com There’s Nothing Holding Me Back, um dos muitos singles de seu novo álbum. Atração do Rock in Rio, o cantor arrastou uma legião de jovens ao festival com sua fórmula pop-romântica e seus refrões grudentos. Haja detergente para limpar.



Vidinha de Balada, Henrique e Juliano

O hit de Henrique e Juliano conquistou não só os amantes da música sertaneja. O refrão chiclete “Vai namorar comigo, sim” povoou baladas eletrônicas e pop Brasil a fora e se consagrou como hino dos que estão a procurar de um amor.




Qual música grudou em 2017?

Escolha a faixa chiclete deste ano

Fonte:https://veja.abril.com.br/entretenimento/as-musicas-mais-insuportavelmente-grudentas-de-2017/

Compartilhe!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se você encontrar algo de carater ofensivo, por favor denuncie.

Comentários (0)


Deixe um comentário